quinta-feira, 31 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - DARCY MARQUES JUNIOR

O Paulista de São Vicente  Darcy ou "Darci" como alguns grifavam  chegou ao Timão em 1971 vindo do Clube Pequeninos do Jockey por indicação do técnico Guimarães. No Corinthians começou a treinar com o Técnico Rato,  ídolo dos anos 20 e 30 como jogador e famoso por ter lançado grandes craques, como Luizinho, Roberto Belangero, Cabeção, Rivellino , etc. Destaque no time juvenil, Darcy fez sua estréia no time profissional em fevereiro de 1975. Apesar de atuar como zagueiro, jogou muitas vezes também como lateral-direito.
Com a chegada do xerifão Moisés em 1976 começou a perder espaço no time titular. Em 1977 mesmo atuando poucas vezes como titular, sagra-se Campeão Paulistão .
Darcy fez sua última partida com a camisa alvinegra em 13 de agosto de 1977 na vitória por 3 x 1 contra a Ferroviária de Araraquara no Pacaembu em jogo válido pelo Paulistão daquele ano.
Ainda em 1977 transfere-se para o América de Rio Preto,
Em 1978 vai para Pernambuco jogar pelo Naútico do Recife.
Em 1979 retorna para o estado de São Paulo para jogar pela equipe do São José, onde em 1980 conquista o título do Campeonato Paulista da 2ª divisão.
Em 1982 defende as cores do Guarani de Campinas.
Após atuar por mais alguns clubes decide encerrar a carreira de jogador em 1991 no São Carlense (SP), onde passa atuar como técnico.
Treinou também outras equipes como o Apucarana (PR), São José (SP) , e foi auxiliar técnico na Ponte Preta de Campinas, Vila Nova (GO) , Avai (SC) e Botafogo (SP).




domingo, 27 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - GOLEIRO CÉSAR

O alagoano Carlos César de Oliveira chegou ao Corinthians em 1981 vindo do CRB de Alagoas. Sua baixa estatura para a posição (1,75m) logo virou motivo de gozação e desconfiança na boca dos torcedores. Sua estréia foi no dia 29 de abril contra o São José no empate em 1 x 1 em jogo válido pelo Paulistão. Em seu primeiro ano, revezou a titularidade do gol corinthiano com os goleiros Rafael e Tadeu durante a disputa do Campeonato Paulista.
Em 1982, quando o Timão teve que disputar a Taça de Prata, equivalente da  atual série B do Campeonato Brasileiro , César, que foi titular absoluto durante a campanha invicta que deu ao Timão o direito retornar à elite do futebol brasileiro no mesmo ano, e que por pouco não sagrou-se Campeão  da Taça de Ouro, atual série A do Brasileirão , teve um ótimo desempenho que rendeu-lhe o apelido de  "O Pequeno Grande César" .
Em junho de 1982 César fez sua 58ª e última partida como goleiro corinthiano , para em seguida ir jogar no Juventus (SP).


CRAQUES DO PASSADO - BENEDITO

O alagoano Benedito Mário Pinto Maranhão chegou no Corinthians em 1957 após jogar por muitos anos pelo São Cristovão (RJ).
Sua estréia foi em 18 de agosto na goleada de 5 x 0 contra a Linense em jogo válido pelo Paulistão de 1957. Benedito defendeu o Timão em 6 temporadas onde atuou em 117 partidas, tendo marcado 3 gols.
Em 1º de maio de 1963 faz sua última partida com a camisa alvinegra.
Encerrou sua carreira defendendo o time do Hepacaré da cidade de Lorena (SP).


sexta-feira, 25 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - MAURO "VAN BASTEN"

Paulista de Ipaussu, Mauro Aparecido da Silva começou sua carreira na Ponte Preta de Campinas, onde despontou para o futebol. Ponta-esquerda extremamente ágil, logo chamou a atenção dos clubes grandes da Capital. Em 1987 o Palmeiras que vivia um jejum de 11 anos sem conquistas foi busca-lo. O clima pesado encontrado em seu novo clube talvez tenha assustado  o jovem atacante que  não conseguiu repetir o mesmo futebol apresentado na Macaca.
Emprestado ao Pinheiros, time paranaense da época, ficou até o primeiro semestre de 1988. No segundo semestre já estava de volta ao Palmeiras onde defendeu a equipe no Brasileirão daquele ano. 
Em Janeiro de 1989 chega ao Corinthians , numa negociação que envolveu também o lateral-direito Édson Boaro.
Sua estréia foi no dia 29 de janeiro num amistoso contra a Caldense (MG). Como tinha vindo do arquirrival Palmeiras, constantemente era vaiado pela fiel torcida, mas foi de grande valia  na conquista do Campeonato Brasileiro de 1990, já que o seu empenho tático dava mais liberdade ao jogador Neto, que como é sabido por todos, nunca primou pelo preparo físico.
Ainda em 1990, ganhou o apelido de  "Van Basten", que o incomoda muito até os dias de hoje. A origem deste apelido se deve ao seguinte fato: Em outubro de 1990, o Rei Pelé foi homenageado em Milão (Itália) com um jogo comemorativo aos seu 50 anos de idade. Vários jogadores foram chamados para a festa, e entre eles estava o meia corinthiano Neto. Aproveitando a oportunidade , Mauro pediu ao companheiro de time que trouxesse da Europa uma chuteira do jogador Marco Van Basten. Quando recebeu a encomenda, ao abrir a caixa, notou que  além do belo par de chuteiras  haviam também diversos adesivos do craque holandês em seu interior. Durante um rachão, Mauro teve a infeliz ideia de cola-los em seu corpo. Os companheiros ao presenciarem a inusitada cena, começaram a chama-lo de Mauro Van Basten. O azar de Mauro é que  alguns repórteres próximos, ouviram a zoação, e logo trataram de divulgar a novidade, fazendo com que uma simples brincadeira virasse um carma para o jogador.
Em 1991 após ter disputado 105 partidas com a camisa alvinegra, e ter marcado 8 gols, despede-se do Timão, e vai para o Mogi mirim.
Em 1996 após encerrar a carreira como jogador, começou a trabalhar como auxiliar técnico de Nelsinho Baptista, com quem ficou por 8 anos.
Atualmente Mauro trabalha no próprio Corinthians como olheiro e homem de confiança da Diretoria e do Técnico Tite.
Graças ao seu trabalho é que jogadores como Paulinho, Ralf, William, Walace e  Weldinho chegaram ao clube, além do ex-jogadore Jucilei.

(Campeão Brasileiro de 1990)



quinta-feira, 24 de maio de 2012

OS 21 MAIS DO CORINTHIANS

Na centenária história do Corinthians já passaram inúmeros jogadores e técnicos. Muitos marcaram época, alguns viraram ídolos. outros apenas passaram, e há uma pequena parcela daqueles personagens que gostaríamos de esquecer. Tive a oportunidade de acompanhar o desempenho de muitos jogadores em mais de 40 anos como torcedor, mas  aqueles que não tive o privilégio de ver, valho-me hoje, das imagens, recortes de jornais e publicações de época para me inteirar a respeito e assim poder fazer um breve julgamento .
Analisando todos esse dados tomei a liberdade de fazer uma coisa que a maioria dos torcedores gostaria de fazer; escalei a minha Seleção Corinthiana de todos os tempos. Ao todo foram selecionados 20 jogadores e 1 técnico, que no meu entendimento traduzem o que houve de melhor nesses 101 anos de história.
Como não existe unanimidade em convocações, sei que muitos irão discordar.

Goleiros: Gylmar dos Santos Neves e Ronaldo Giovanelli
Defensores : Idário, Zé Maria, Del Debbio, Wladimir, Domingos da Guia e Gamarra
Volantes : Roberto Belangero, Dino Sani, Rincon e Vampeta
Meias: Marcelinho Carioca, Luizinho, Claúdio Christovan e Sócrates
Atacantes: Teleco, Carlito Tévez, Neco e Ronaldo Fenômeno
Técnico: Oswaldo Brandão


terça-feira, 22 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - HEITOR PERROCA

O mineiro Heitor Amorim Perroca chegou ao Corinthians em 1963 após passagem pelo São Cristovão (RJ). Sua estréia foi no dia 19 de maio, quando substitui o titula Cabeção em um a amistoso vencido pelo Corinthians pelo placar de 2 x 0 contra o Nacional (SP).
Heitor viria fazer sua primeira partida como titular quase 2 meses após sua estréia, na derrota para o Noroeste de Bauru por 2 x 1 em jogo válido pelo Paulistão daquele ano.
Heitor chegou a ser convocado para defender a Seleção Brasileira que disputaria os Jogos Pan-americanos de São Paulo.
Em outubro de 1964 garantiu o empate de 1 x 1 contra o poderoso Santos FC de Pelé, ao defender uma penalidade cobrada pelo próprio rei do futebol.
Heitor permaneceria no clube até outubro de 1966, quando foi acusado de falhar em 3 gols na derrota por 3 x 4 para o Noroeste de Bauru, mesmo time que coincidentemente o venceu em sua partida de estréia 3 anos atrás.
No total foram115 jogos e 137 gols sofridos com a camisa alvinegra.




segunda-feira, 21 de maio de 2012

A HISTÓRIA DO CLÁSSICO - CORINTHIANS X FC BARCELONA

A história nos conta que o grande Barcelona, time catalão badalado e milionário, vencedor de 4 Recopas Européias e 4 Copas dos Campeões da Europa, e onde sempre desfilaram grandes nomes do futebol internacional como Di Stefano, Cruyff, Maradona, Romário, Rivaldo, Ronaldo, Messi, etc trás em seu currículo o fato de nunca ter vencido o Corinthians.


Os encontros não foram muitos, quatro no total, mas em todos eles o Timão saiu-se vitorioso.
O primeiro encontro entre as duas equipes ocorreu em 1953 durante a disputa da Pequena Taça do Mundo, na Venezuela, uma espécie de precursora do atual Mundial Interclubes FIFA. Nessa partida o Corinthians venceu por 3 x 2 (veja ficha técnica abaixo)

Data: Sábado, 18 de julho de 1953   
Local: Estádio Olímpico de Caracas (Venezuela)
Árbitro: Braumberger (Suíça)
Renda: 142.000 bolivares, equivalente a Cr$: 2.130.000,00
Gols: Luizinho, aos 05 min do 1° tempo; Moreno aos 02, Carbone aos 14, Luizinho aos 30 e Kubala aos 39 do 2° tempo.
Cartão Amarelo: sem registro
Expulsão: sem registro

CORINTHIANS: Cabeção, Homero e Olavo; Sula(Idário), Goiano e Julião(Roberto); Cláudio, Luizinho, Nardo(Vermelho), Carbone e Souzinha. Técnico: Rato.
BARCELONA: Velasco, Seguer e Biosca; Segarra, Bosch e Flotas; Basora, Cesar, Kubala, Moreno e Gracia. 

 O segundo encontro aconteceu no mesmo Torneio, e o resultado foi 1 x 0 para o Timão (Ficha técnica abaixo)


Data: Domingo, 26 de julho de 1953
Local: Estádio Olímpico de Caracas (Venezuela)
Árbitro: Benito Jackson (Venezuela)
Renda: equivalente a Cr$: 1.200.000,00
Gol: Goiano, aos 17 min do 2° tempo.
Cartão Amarelo: sem registro
Expulsão: sem registro

CORINTHIANS: Cabeção, Homero e Olavo (Julião); Idário (Sula), Goiano e Roberto; Cláudio, Luizinho (Nardo), Vermelho, Carbone e Mário. Técnico: Rato.
BARCELONA: Velasco, Seguer e Segarra, Flotats, Biosca e Bosch, Bassora, Cesar, Kubala, Moreno e Gracia.

O terceiro encontro aconteceu  em junho de 1959. Jogando em pleno Estádio Camp Nou em Barcelona, o Corinthians goleou o time catalão por 5 x 3 (Ficha técnica abaixo)

Data: quarta-feira24 de junho de 1959
Local: Estádio Camp Nou (Barcelona- Espanha)
Árbitro: Gomes Contreras (Espanha)
Gols: Evaristo 27, Luizinho 28, Czibor 30, Bataglia 1, Índio 4, Tite 41, Evaristo (pênalti) 43 do 2º tempo.

Corinthians : Gilmar, Oreco, Olavo, Walmir, Goiano, Roberto, Bataglia, Luizinho (Joãozinho), Índio, Rafael (Benedito). Técnico: Sylvio Pirillo
Barcelona: Ramallets, Olivella, Rodri Gracia, Segarra, Gensana, Goicolea, Tejada, Kubala, Evaristo, Luis Suárez, Czibor. 

O quarto e último encontro deu-se em 1969 na cidade de Málaga -Espanha, e estava em disputa o Torneio Copa del Sol. A partida final que deu o Título ao Corinthians acabou em 2 x 1 após a 4º prorrogação. (Ficha técnica abaixo)

Data: Domingo, 17 de agosto de 1969
Local: Estádio La Rosalera (Málaga - Espanha)
Árbitro: José Zariquiegui (Espanha)
Gols: Reixach 12, Adnan 20 do 1º tempo, Benê 7 da 4º prorrogação.

Corinthians: Alexandre (Diogo), Polaco, Ditão, Luís Carlos, Pedro Rodrigues (Miranda), Dirceu Alves, Suíngue, Carlinhos (Tião), Benê, Servílio (Tales) e Adnan. Técnico: Dino Sani

No total foram 4 vitórias, 11 gols prós e 6 gols contras em 4 jogos.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO- JONAS EDUARDO AMÉRICO "EDU"

Apesar de ser mais relacionado com o Santos FC, clube que defendeu por mais de 10 anos, Edu entra nessa galeria de CRAQUES DO PASSADO, por fazer parte do elenco que conquistou o Título Paulista de 1977. 
Paulista de Jaú, o ponta-esquerda Edu estreou no Santos ainda garoto, aos 15 anos de idade. Em 1966, foi convocado para disputar a Copa do Mundo da Inglaterra, tornando-se o mais jovem jogador a participar de uma edição de Copa, apesar de não jogar nenhuma partida.
Em 1970 era novamente convocado para disputar uma Copa do Mundo, agora no México, onde conquistou o Tricampeonato Mundial.
Pentacampeão Paulista com o Santos em 1965/67/68/69/73, Edu chegou ao Timão em 1977. Apesar de estar com apenas 27 anos, Edu apresentou-se fora de forma e com sobrepeso, mas mesmo assim contribui na campanha do Título Sua estréia foi em 23 de janeiro de 1977 ao entrar no lugar de Vaguinho no 2º tempo de jogo contra o Grêmio Maringá (PR).
Apesar da derrota nesta partida amistosa por 3 x 2, Edu deixou sua marca aos 39 minutos do 2º tempo.
Ao todo foram 39 jogos e 4 gols marcados, além do Título Paulista de 1977.
No final do ano foi para o Internacional (RS) onde ficou até 1978, quando foi para o México defender as cores do Monterrey até 1983.
Encerrou sua carreira no Dom Bosco em 1985.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - LIMA

O baiano Eduardo Teixeira Lima chegou ao Corinthians em 1962. Sua estréia foi no dia 10 de junho contra a Ferroviária de Araraquara no Parque São Jorge ao entrar no 2º tempo em substituição ao jogador Lúcio.
Seu primeiro gol com a camisa alvinegra aconteceu em sua 3º partida, no empate em 1 x 1 contra o Juventus da Moóca em 5 de agosto.
Em 1965 foi emprestado ao time colombiano do Milionários onde permaneceu até 1967, quando  retornou ao Timão. No final do ano foi emprestado ao Boca Juniors da Argentina onde permaneceu até 1969, quando retornou ao Timão novamente. 
Sua última partida com a camisa alvinegra aconteceu justamente na de estréia do Super Zé Maria, no dia 11 de novembro de 1970.
Após defender o Corinthians em 170 oportunidades, e assinalar 33 gols, Lima foi jogar no Cruzeiro (MG) onde ficou até 1973. Em 1974 já estava no Náutico. Após passagem  pelo Sport do Recife em 1976, foi para o Chile, onde após 6 temporadas no O´Higgins  acabou encerrando sua carreira em 1982.
Atualmente reside em São Paulo, onde treina a garotada em Escolinhas de futebol.


segunda-feira, 14 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - VÍTOR

Paulista de Mogi Guaçu, Claudemir Vítor Marques, ou simplesmente Vítor, começou sua trajetória como atleta profissional em 1990 no São Paulo FC, após passagens pelas categorias de base do Guarani e Ponte Preta de Campinas.  Lateral-direito de profissão, Vítor compensava sua pouca técnica com  garra, vigor físico, além é claro de sua velocidade.
Após passagem pelo Real Madri em 1993, e o retorno ao São Paulo FC em 1994, Vítor chega ao Corinthians em 1995, trazendo na bagagem um Bicampeonato Paulista, 1 Brasileirão,  2 Libertadores, 1 Recopa Sul-americana, e 1 Mundial Interclubes, todos ganhos em sua passagem pelo São Paulo FC.
Sua estréia no Timão foi em 28 de janeiro na derrota para o XV de Piracicaba por 2 x 1 em jogo válido pelo Paulistão . Apesar da estréia nada positiva, Vítor manteve a fama de vencedor, conquistando dois títulos com a camisa alvinegra, o Paulistão e a Copa do Brasil, ambos de 1995. Apesar de ter só feito 2 gols com a camisa corinthiana, seu gol assinalado contra a Portuguesa de Desportos na reta final do Paulistão foi fundamental para a construção do título daquele ano de 1995
Após realizar 50 jogos pelo Corinthians, transfere-se em 1996 para o Cruzeiro (MG), onde conquista o Bicampeonato Mineiro de 1996/97, a Copa do Brasil de 1996, e a Libertadores de 1997.
Em 1998, já no Vasco da Gama, conquista o Campeonato Carioca, e o seu 4º título da Libertadores.
Após passagens por mais 9 times de futebol, encerra sua carreira em 2010 atuando pelo time do Guaçuano, de sua cidade natal e clube da qual é dirigente.

(Em 1995 ao lado do atacante Elivélton)

sábado, 12 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - VALENTINO CHIES

Natural de São Caetano do Sul, Valentino começou sua carreira num time da cidade, o São Caetano E.C., que não tem nada a ver com a atual equipe.
Chegou ao Corinthians em 1955 após anos defendendo a equipe do Ypiranga (SP).
Reserva do goleiro titular Gylmar, Valentino estreou no dia 5 de maio num amistoso contra o Uberaba (MG), entrando no segundo tempo da partida.
Em 3 tempo temporada no clube, jogou apenas 40 partidas, e a maioria amistosos.
Em 1958 foi para o Nacional Atlético Clube de São Paulo, onde acabou encerrando sua carreira.
Valentino veio a falecer em 2 de junho de 2009 aos 79 anos em São Caetano do Sul.

(Valentino ao lado de Roberto Belangero)

A HISTÓRIA DO CLÁSSICO - CORINTHIANS X VASCO DA GAMA

Após se encontrarem novamente em uma importante decisão, agora por uma vaga às semifinais da Taça Libertadores de 2012, poderemos notar abaixo, que a história do confronto entre essas duas grandes equipes do futebol brasileiro já é nonagenária, ou seja, há mais de 90 anos Corinthians e Vasco da Gama se duelam pelos gramados do Brasil afora. A primeira partida que se tem conhecimento ocorreu no dia 14 de março de 1926. Foi um prélio amistoso, já que na época não haviam torneios nacional ou interestadual para que os dois clubes pudessem se confrontar oficialmente.
Esse primeiro embate  deu-se no Estádio da Rua Paysandu na cidade do Rio de Janeiro, e teve o Vasco da Gama como vencedor da peleja por 2 x 1, gols de Apparício para o Corinthians e Dininho e Torterolli para o Vasco da Gama.
O primeiro jogo entre as duas equipes em um campeonato oficial ocorreu no dia 2 de julho de 1933 em partida válida pelo Torneio Rio-São Paulo. Nesse jogo realizado no Parque São Jorge, o Corinthians saiu-se vitorioso pelo placar de 3 x 2.
Até o momento foram computadas 101 partidas entre jogos oficiais e amistosos.
A estatística mostra que nas 95 partidas "oficiais" o Corinthians leva vantagem, já que conquistou 42 vitórias, empatou 31, e perdeu outas 22 partidas.
Se computarmos todos os 103 jogos, o Timão continua com uma expressiva vantagem, somando 44 vitórias, 33 empates e 26 derrotas.
As maiores goleadas que aconteceram nesses confrontos foram de 5 x 0 para ambos os lados. O Vasco da Gama venceu por esse placar em 14/04/1928, e o Timão repetiu o placar em  31/05/1995.
O maior número de gols marcados em uma mesma partida aconteceu em 17/04/1955 no empate por 5 x 5.
Corinthians e Vasco já se encontraram em 4 decisões importantes, e em todas o Corinthians foi o vencedor. A primeira decisão ocorreu em 1995 na semifinal da Copa do Brasil ( vitórias por 1 x 0 e 5 x 0) o Timão avançou e foi Campeão. A segunda foi na final do 1º Mundial Interclubes FIFA ( Após empate de 0 x 0 no tempo normal, vitória nas penalidades por 4 x 3). Em 2006 pela Sul-americana novamente duas vitórias ( 1 x 0 e 3 x 1).
Em 2009 no mata-mata que valia a passagem para a decisão da Copa do Brasil daquele ano. Após dois empates (1 x 1 no Maracanã e 0 x 0 no Pacaembu) o Timão avançou para a final e faturou o caneco pela terceira vez.
Em 23 de maio de 2012, o Timão levou mais uma vez a melhor sobre o clube carioca ao vence-lo por 1 x 0, gol de Paulinho, na segunda partida do mata-mata ( 0 x 0 na primeira partida no Rio de Janeiro), classificando-se para as semifinais da Copa Libertadores desse ano.




Abaixo todos os jogos entre as duas equipes 

Data Mando de Jogo             Edição  

04/05/2019 Vasco 1 x 1 Corinthians Brasileirão 2019
17/11/2018 Corinthians 1 x 0 Vasco Brasileirão 2018
29/07/2018 Vasco 1 x 4 Corinthians Brasileirão 2018
17/09/2017 Corinthians 1 x 0 Vasco Brasileirão 2017
07/06/2017 Vasco 2 x 5 Corinthians Brasileirão 2017
18/01/2017 Corinthians 4 x 1 Vasco Florida Cup 2017
19/11/2015 Vasco 1 x 1 Corinthians Brasileirão 2015
29/07/2015 Corinthians 3 x 0 Vasco Brasileirão 2015
17/11/2013  Corinthians 0-0 Vasco Brasileirão 2013
25/08/2013  Vasco  1-1 Corinthians Brasileirão 2013
27/10/2012 Corinthians 1-0 Vasco Brasileirão 2012
05/08/2012 Vasco 0-0 Corinthians Brasileirão 2012
23/05/2012 Corinthians 1-0 Vasco Libertadores 2012
16/05/2012 Vasco 0-0 Corinthians Libertadores 2012
02/10/2011 Vasco 2-2 Corinthians Brasileirão 2011
06/07/2011 Corinthians 2-1 Vasco Brasileirão 2011
28/11/2010 Corinthians 2-0 Vasco Brasileirão 2010
13/10/2010 Vasco 2-0 Corinthians Brasileirão 2010
03/06/2009 Corinthians 0-0 Vasco Copa Brasil 2009
27/05/2009 Vasco 1-1 Corinthians Copa Brasil 2009
28/11/2007 Corinthians 0-1 Vasco Brasileirão 2007
09/08/2007 Vasco 2-0 Corinthians Brasileirão 2007
20/09/2006 Corinthians 1-1 Vasco Brasileirão 2006  
    13/09/2006 Corinthians 3-1 Vasco Copa Sulamer. 2006
    06/09/2006 Vasco 0-1 Corinthians Copa Sulamer. 2006
21/05/2006 Vasco 2-4 Corinthians Brasileirão 2006
30/10/2005 Corinthians 1-1 Vasco Brasileirão 2005  
24/07/2005 Vasco 2-3 Corinthians Brasileirão 2005
04/12/2004 Corinthians 3-1 Vasco Brasileirão 2004  
04/08/2004 Vasco 1-3 Corinthians Brasileirão 2004  
20/08/2003 Corinthians 0-0 Vasco Brasileirão 2003  
16/04/2003 Vasco 2-2 Corinthians Brasileirão 2003  
17/11/2002 Corinthians 1-1 Vasco Brasileirão 2002  
    14/04/2002 Corinthians 1-0 Vasco Rio-São Paulo 2002  
08/11/2001 Vasco 1-0 Corinthians Brasileirão 2001  
    31/01/2001 Vasco 1-0 Corinthians Rio-São Paulo 2001  
            11/08/2000 Vasco 1-0 Corinthians Copa João Havelange 2000  
    13/02/2000 Corinthians 1-1 Vasco Rio-São Paulo 2000  
    30/01/2000 Vasco 1-0 Corinthians Rio-São Paulo 2000  
            14/01/2000 Corinthians 0-0 (4-3)Vasco Mundial de Clubes 2000
22/09/1999 Corinthians 2-4 Vasco Brasileirão 1999
25/07/1998 Vasco 0-1 Corinthians Brasileirão 1998  
    12/02/1998 Vasco 0-1 Corinthians Rio-São Paulo 1998  
    29/01/1998 Corinthians 0-1 Vasco Rio-São Paulo 1998  
15/07/1997 Corinthians 2-1 Vasco Brasileirão 1997  
28/09/1996 Vasco 0-0 Corinthians Brasileirão 1996  
02/12/1995 Corinthians 3-1 Vasco Brasileirão 1995  
31/05/1995 Corinthians 5-0 Vasco Copa Brasil 1995  
24/05/1995 Vasco 0-1 Corinthians Copa Brasil 1995
15/10/1994 Corinthians 2-1 Vasco Brasileirão 1994  
    28/07/1993 Vasco 3-4 Corinthians Rio-São Paulo 1993  
    11/07/1993 Corinthians 4-3 Vasco Rio-São Paulo 1993  
26/01/1992 Corinthians 1-4 Vasco Brasileirão 1992
02/03/1991 Vasco 0-1 Corinthians Brasileirão 1991  
28/10/1990 Corinthians 0-0 Vasco Brasileirão 1990  
03/12/1989 Corinthians 0-1 Vasco Brasileirão 1989  
    04/12/1988 Corinthians 0-0 (3-4)Vasco Brasileirão 1988  
11/10/1987 Vasco 4-1 Corinthians Brasileirão 1987  
14/12/1986 Vasco 1-1 Corinthians Brasileirão 1986  
16/11/1986 Corinthians 0-0 Vasco Brasileirão 1986  
09/03/1985 Vasco 1-0 Corinthians Brasileirão 1985  
27/01/1985 Corinthians 2-2 Vasco Brasileirão 1985  
31/03/1983 Vasco 0-0 Corinthians Brasileirão 1983  
13/03/1983 Corinthians 1-1 Vasco Brasileirão 1983  
04/05/1980 Vasco 5-2 Corinthians Brasileirão 1980
06/04/1980 Corinthians 1-1 Vasco Brasileirão 1980  
16/07/1978 Vasco 3-1 Corinthians Brasileirão 1978  
12/02/1978 Corinthians 0-0 Vasco Brasileirão 1977  
09/11/1975 Vasco 0-1 Corinthians Brasileirão 1975  
14/07/1974 Vasco 2-0 Corinthians Brasileirão 1974  
24/01/1974         Corinthians 1-1 Vasco Brasileirão 1973  
12/11/1972 Corinthians 1-1 Vasco Brasileirão 1972  
11/09/1971 Corinthians 1-0 Vasco Brasileirão 1971  
14/11/1970 Corinthians 3-1 Vasco Robertão 1970  
5/10/1969 Vasco 1-2 Corinthians Robertão 1969  
20/11/1968 Corinthians 2-1 Vasco Robertão 1968  
08/04/1967 Corinthians 2-0 Vasco Robertão 1967  
    02/03/1966 Corinthians 0-3 Vasco Rio-São Paulo 1966  
    23/05/1965 Vasco 1-1 Corinthians Rio-São Paulo 1965  
    14/02/1965 Corinthians 3-1 Vasco Rio-São Paulo 1965  
    06/05/1964 Vasco 0-1 Corinthians Rio-São Paulo 1964  
    16/04/1961 Corinthians 0-2 Vasco Rio-São Paulo 1961  
    08/03/1961 Vasco 2-0 Corinthians Rio-São Paulo 1961  
    16/04/1960 Corinthians 1-1 Vasco Rio-São Paulo 1960  
    09/04/1959 Corinthians 1-1 Vasco Rio-São Paulo 1959  
   05/03/1958 Corinthians 1-3 Vasco Rio-São Paulo 1958  
   26/05/1957 Vasco 1-2 Corinthians Rio-São Paulo 1957  
   17/04/1955 Corinthians 5-5 Vasco Rio-São Paulo 1955  
   06/06/1954 Corinthians 4-1 Vasco Rio-São Paulo 1954  
   31/05/1953 Vasco 1-0 Corinthians Rio-São Paulo 1953  
   24/02/1951 Vasco 3-4 Corinthians Rio-São Paulo 1951  
   22/01/1950 Corinthians 2-1 Vasco Rio-São Paulo 1950  
   07/08/1940 Vasco 1-4 Corinthians Rio-São Paulo 1940  
                      08/10/1933 Vasco 1-0 Corinthians          Rio-São Paulo 1933                      
02/07/1933 Corinthians 3-2 Vasco Rio-São Paulo 1933
23/02/1930                    Vasco 2-3         Corinthians        Amistoso
16/02/1930                    Corinthians        4-2 Vasco         Amistoso
24/03/1929                    Corinthians        4-2 Vasco         Amistoso
17/03/1929                    Vasco 4-3         Corinthians        Amsitoso
14/04/1928                    Vasco 5-0         Corinthians        Amistoso
05/02/1928                    Corinthians        1-2 Vasco         Amistoso
02/05/1926                    Corinthians        1-1 Vasco         Amistoso
14/03/1926                    Vasco 2-1         Corinthians        Amistoso

sexta-feira, 11 de maio de 2012

TÉCNICOS VENCEDORES - JORGE VIEIRA

O carioca Jorge Silva Vieira começou sua carreira de treinador em 1960 dirigindo a equipe do América (RJ) aos 26 anos de idade.  Em seu primeiro ano conquista o Campeonato do Estado da Guanabara, assim chamado na época o Campeonato Carioca, tornando-se o treinador mais jovem do País a conquistar um título importante. 
Em  1965 foi para Portugal onde treinou por duas temporadas o time do Belenenses.
Em 1968 dirigiu o Vitória de Guimarães também de Portugal.
Em 1977, já de volta ao Brasil, passou a treinar a equipe do Botafogo de Ribeirão Preto que tinha em seu quadro o ainda desconhecido jogador Sócrates, onde faturou a Taça Cidade de São Paulo (Campeão do 1º Turno do Paulista).
No mesmo ano transferiu-se para o Palmeiras, onde permaneceu até 1978.
Em 7 de novembro de 1979 fazia sua estréia no Corinthians, substituindo o técnico José Teixeira  já na fase decisiva do Paulistão daquele ano. Tendo sob seu comando novamente o agora craque Sócrates, Jorge Vieira fatura o Paulistão de 1979. Em sua primeira passagem pelo clube fica apenas 26 jogos.
Retornaria ao Timão em 1983, onde fatura outro Campeonato Paulista.
Em 1984, após bater de frente com a "Democracia Corinthiana" que se instalava no clube, resolve sair.
Voltaria a dirigir a equipe novamente em 1986. Em 22 de abril de 1987, após uma derrota para o Noroeste de Baurú por 2 x 0 em jogo válido pelo Paulistão daquele ano, é demitido após vencer apenas 1 jogo dos 9 disputados no Paulistão.
No total, Jorge Vieira dirigiu o Timão em 147 jogos, sendo o 8º técnico que mais vezes dirigiu a equipe alvinegra.
Em 1985 foi para o Iraque treinar a Seleção local. Lá conseguiu um fato inédito para o País, classificando-o para a Copa do Mundo de 1986 no México.
Durante sua estada em Bagdá, acabou conhecendo e fazendo amizade com o ex-ditador Saddam Hussein.
Em entrevista à Revista Isto é em 2003, ao ser indagado sobre o que achava de Saddam Hussein, Jorge Vieira deu a seguinte resposta : 
"É um sujeito amistoso e percebia que ele era querido pelo povo. Só se tornava intransigente, quando precisava agir assim. Ele me confessou: “O Kuwait é um pedaço do nosso Iraque. Ainda vou invadir para retomar esse território”. Como a mídia não o conhece, cria uma imagem distorcida."

Jorge Vieira ainda treinou algumas equipes do México, e a Seleção de El Salvador em 1993/94.
Em 2007 assumiu a função de Diretor Técnico do América (RJ), seu clube de coração.




                                               Foto. Carol Feichas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

TÉCNICOS VENCEDORES - JAIR PEREIRA DA SILVA

O carioca Jair Pereira da Silva começou sua carreira no futebol como jogador do Madureira (RJ) em 1966. Passou por alguns clubes, mas foi no Vasco da Gama (RJ) que conquistou seus maiores títulos como jogador, incluindo o Brasileirão de 1974 e o Carioca de 1977.
Como treinador sua carreira teve início no Campo Grande (RJ) em 1981. No mesmo ano foi treinar a Ponte Preta de Campinas.
Após passagens pelo comando da Seleção Brasileira sub-20,  Arábia Saudita, Emirados Árabes,  além do Cruzeiro (MG), Jair chega ao Timão em janeiro de1988. Pega pela frente um Time totalmente desacreditado. Aos poucos vai impondo seus ensinamentos, levando o Corinthians à inusitada final do Paulistão de 1988 contra o Guarani de Campinas de Neto e Evair.
Mesmo sendo o Corinthians, nessa final o time de Parque São Jorge era tido como zebra, já que o Guarani possuía um time superior.
O primeiro jogo no Morumbi acabou empatado em 1 x 1, levando para Campinas a partida decisiva. O Corinthians que já não possuía um elenco respeitável, acabou perdendo o atacante Edmar para a Seleção Brasileira nos jogos decisivos. Coube ao jovem Viola, a façanha de marcar o gol aos 5 minutos do 1º tempo da prorrogação, que garantiu ao Timão o título do Paulistão daquele ano.
Em entrevista à Veja Jair deu a seguinte explicação sobre a decisiva partida:

“Viola era reserva do aspirante, certo? Aí eu peguei ele mais para compor o grupo, conseguir completar o time no treino. Ele foi treinando comigo e eu fui gostando e achando interessante. Aí na semana do título, eu falei para ele: ‘Você se prepara porque você vai ser titular’. Uma semana antes, ele já sabia que ia jogar. Então ele se preparou. O Edmar, centroavante titular, tinha ido para a Seleção e eu comentei com o Viola: ‘O Edmar está na dele, quer jogar na Europa, é a sua chance’. Eu aproveitei para abrir as portas dos treinos nos últimos dias, enquanto o Guarani fazia treinos secretos. Viola sentiu ali o carinho da torcida, e o time como um todo ganhou confiança. Afinal, com toda a sinceridade, o nosso time era talvez a quarta força daquele campeonato. São Paulo, Guarani e Portuguesa tinham times muito bons. E conseguimos ir à final. No segundo jogo, o Guarani do Neto, do Evair, do Boiadeiro, do João Paulo jogava pelo empate. No final do jogo, eu pensei que precisava colocar o time mais ofensivo com três atacantes. O ataque ficou Paulinho Carioca de um lado, Paulinho Gaúcho do outro e o Viola no meio. Aí o Wilson Mano deu aquele chute que ia para fora, o Viola meteu um carrinho e fez o gol. O detalhe na comemoração é que ele estava com duas camisas. Deu uma para a torcida e ficou com a outra. Quer dizer, além de predestinado, ele estava realmente preparado pois a gente vinha conversando há uma semana.”

Com essa façanha alcançada, Jair Pereira caiu nas graças da torcida, despertando o ciúme do então Presidente Corinthiano Vicente Matheus, que incomodado com o sucesso do treinador, acabou demitindo-o.


Em 1994 Jair retornou ao Timão, e conquistou o vice-campeonato Brasileiro.
No total, dirigiu a equipe em 79 jogos.
Em seu currículo leva ainda as seguintes conquistas como treinador:
Campeão Paraense com o Paysandu em 1982
Campeão Mineiro de 1987 com o Cruzeiro
Bicampeão Mineiro com o Atlético em 1989 e 1991
Campeão da Copa do Brasil de 1990 com o Flamengo
Campeão Carioca de 1994 com o Vasco da Gama
Bicampeão da Copa Espanha com o Atlético de Madri em 1991/92
Campeão Cearense com o Fortaleza em 2005

quinta-feira, 3 de maio de 2012

TÉCNICOS VENCEDORES - OSWALDO DE OLIVEIRA

O carioca Oswaldo de Oliveira iniciou sua carreira como técnico de futebol justamente no Timão em 1998, ao assumir interinamente a equipe em 2 oportunidades devido a ausência do titular Wanderley Luxemburgo.
Em 1999 com a ida de Luxemburgo para a Seleção Brasileira, assume  definitivamente o cargo por indicação do ex-técnico.
Sua estréia não é das melhores, já que o time comandado por ele é goleado impiedosamente pelo Botafogo (RJ) por 6 x 1 em jogo válido pelo Torneio Rio-São Paulo de 1999. Devido a sua inexperiência como treinador, e os maus resultados alcançados no Torneio Rio-São Paulo, volta após 2 meses de comando, a condição de auxiliar técnico, agora de Evaristo de Macedo. 3 meses foram o tempo suficiente para Evaristo ser demitido e Oswaldo retornar ao comando da equipe.
Em seu retorno conquista os Campeonatos Paulista  e  Brasileiro de 1999 
Em janeiro de 2000 conquista o Mundial Interclubes FIFA. Na saída do Estádio é literalmente carregado pela Fiel Torcida até o seu veículo que se encontrava no estacionamento do Maracanã.  Em junho, após a sofrida e injusta eliminação para o Palmeiras nas semifinais da Taça Libertadores, é demitido devido a enorme pressão da torcida.
Ao todo, Oswaldo de Oliveira dirigiu o Timão em 112 oportunidades, sendo um dos Técnicos mais vitoriosos da história do clube.
No mesmo ano vai para o Vasco da Gama onde conquista o Brasileirão de 2000 e a Copa Mercosul.
Em 2001 treinou a equipe carioca do Fluminense.
Em 2002 conquista o Supercampeonato Paulista pelo São Paulo FC
Em 2003 teve uma breve passagem pelo Flamengo (RJ).
Em 2004 voltaria ao Corinthians para substituir o Técnico Juninho Fonseca. Nessa sua segunda passagem pelo clube, Oswaldo teve um desempenho muito abaixo do esperado, ganhando apenas 37,5% dos pontos disputados. A goleada sofrida em casa para o Atlético Paranaense por 5 x 0  em partida válida pelo Brasileirão de 2004 foi o suficiente  para a Fiel torcida pedir novamente sua cabeça para a diretoria alvinegra. Após 16 partidas, Oswaldo já não era mais o Técnico do time.
Após passagens sem resultados expressivos por equipes como Vitória (BA), Santos (SP) Al-ahli (Arábia Saudita), Fluminense (RJ) e Cruzeiro (MG), Oswaldo é convidado, por indicação do ex-jogador e técnico Zico, a treinar a equipe japonesa do Kashima Antlers.
Após um começo instável, conquista o Campeonato Japonês de 2007. No mesmo ano vence a Copa do Imperador. Conquista ainda os Campeonatos Japonês de 2008 e 2009, a Supercopa Japonesa de 2009 e 2010, novamente a Copa do Imperador de 2010, e a Copa da Liga Japonesa de 2011.
No final de 2011. após  conquistar a Liga Japonesa, único título que faltava em seu currículo vitorioso  pelo futebol japonês, Oswaldo despede-se do Japão, e retorna ao Brasil, onde assina com o Botafogo (RJ) para a temporada 2012.




terça-feira, 1 de maio de 2012

CRAQUES DO PASSADO - SIMÃO

O pernambucano Pedro Simão Aquino de Araújo começou sua carreira futebolística do Sport Club no Recife em 1943. Lá permaneceu até o final de 1946. No ano seguinte transferiu-se para a Portuguesa de Desportos onde, logo em seu primeiro ano, conquistaria o  Torneio Início do Paulistão. Ponta-esquerda habilidoso, veloz e talentoso, logo destacou-se no cenário brasileiro, sendo então convocado em 1949 para defender a Seleção Brasileira no Campeonato Sul-americano. Pela Seleção atuou 14 vezes  e marcou 5 gols, além do título de Campeão Sul-americano de 1949.
Em 1952, jogando ao lado de Julinho Botelho, Renato, Nininho e Pinga I conquista o Torneio Rio-São Paulo .
Em setembro de  1953, já próximo de completar 30 anos, Simão chega ao Timão. Sua estréia foi na vitória de virada contra o Santos na Vila Belmiro por 1 x 2. Com a saída do driblador Mário, que foi para o Vasco da Gama, Simão assume em definitivo a vaga da ponta-esquerda no time titular. 
Em 1954 conquista os títulos do Torneio Rio-São Paulo e do Paulistão do IV Centenário.
Em 24 de julho de 1955, após 92 partidas e 20 gols marcados, despede-se do Corinthians marcando o 4º gol da vitória corinthiana  contra o Linense (SP) por 4 x 0 em jogo válido pelo Torneio Início do Paulistão daquele ano.
No segundo semestre de 1955 vai defender as cores do São Bento de Sorocaba.
Em 1956 estava de volta à Portuguesa de Desportos, time que mais vezes defendeu (229 jogos), e onde permaneceu até 1957.
Encerrou sua carreira no Vila Santista Futebol Clube de Mogi das Cruzes.
Infelizmente, quando faleceu na cidade de São Caetano do Sul (data ignorada), Simão encontrava-se em plena miséria, e esquecido por seus ex-clubes.

(No timaço da Lusa em 1952. É o último agachado à direita)

(Em 1954 no Timão)

AS PELOTAS DOS CENTENÁRIOS DO CORINTHIANS

Além de todas as glórias já alcançadas em sua centenária trajetória, o Corinthians continua sendo o único time Paulista detentor de 2 Títul...