Pular para o conteúdo principal

GRANDES ÍDOLOS - WALTER CASAGRANDE JUNIOR

O paulistano Casagrande começou sua carreira nas categorias de base do Corinthians com o Técnico Cabeção onde logo se destacou como goleador.
Em 1980 já treinava entre os profissionais, mas seu estilo rebelde bateu de frente com o Técnico Brandão, que o dispensou para ser emprestado para outro clube .
Em 1981 defendeu as cores da Caldense (MG). Apesar de desenvolver seu bom futebol no clube mineiro, Casagrande logo foi aprontando, o que ocasionou a rescisão do seu contrato.

(Na Caldense)
De volta ao Corinthians, finalmente fez sua estréia entre os profissionais foi no dia 3 de fevereiro de 1982 contra o Guará (DF) em jogo válido pela Taça de Prata. Logo de cara, Casagrande foi  marcando 4 gols, mostrando-se um atacante com faro de gol.
Nesse mesmo ano conquista seu primeiro Paulistão, além de terminar na frente da artilharia do campeonato com 28 gols.
Em 1º de agosto contra o Palmeiras, Casagrande caiu de vez nas graças da Fiel ao marcar 3 dos 5 gols na goleada contra o arquirrival.
Casão, como passou a ser identificado, formou ao lado de Sócrates, uma das duplas de ataque mais harmônicas da história do clube, tanto dentro como fora de campo.
Altamente politizado, Casão foi ao lado de Sócrates um dos idealizadores da "Democracia Corinthiana" movimento que preconizava a igualdade irrestrita entre todos.


Em 1983 conquista o Bicampeonato Paulista.
Em 1984, ano das "Diretas já", participou ativamente do levante popular que clamava por eleições diretas para Presidente da República. Dentro do campo,atritos  com o então técnico Jorge Vieira fez com que Casagrande acabasse sendo emprestado ao São Paulo FC.
Em 1985 já estava de volta ao Parque São Jorge. Nesse mesmo ano foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira que se preparava para disputar a Copa do Mundo no México.
Na Copa, formou a dupla titular ao lado de Careca nas duas primeiras partidas, mas acabou perdendo o lugar para o ponta Muller.
Pela Seleção foram 19 jogos e 9 gols marcados.
A projeção alcançada durante a Copa fez com que Casão despertasse a atenção de clubes da Europa. No final de 1986 era vendido para o Porto de Portugal.


Em 1987 quando vai para o Ascoli da Itália, é que começa a se destacar no futebol europeu. 
Em 1991 vai para o Torino, onde conquista a Copa da Itália de 1993.

(Na Itália )
Ainda em 1993, com o passe livre na mão, negocia sua volta ao Brasil com o Flamengo (RJ).
No clube carioca fica apenas uma temporada. Em 1994 atendendo o apelo da massa retornou ao Timão, embora por pouco tempo, mas o suficiente para ultrapassar a marca dos 100 gols.


Foram 256 jogos e 103 gols com o manto alvinegro.
Em 1996 encerrou definitivamente sua carreira de jogador, quando atuava pelo time do São Francisco (BA).
Começou a trabalhar como comentarista esportivo nos jogos transmitidos pela Rede Globo, onde logo se destacou com seus comentários pertinentes e sensatos.
Em 2007 após envolver-se num sério acidente automobilístico, ficou publicamente constatado seu envolvimento com drogas pesadas.
Afastou-se da mídia por um bom tempo para poder tratar-se.
Recentemente retornou ao seu posto de comentarista na Rede Globo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

1981 ANO DO PRIMEIRO REBAIXAMENTO DO CORINTHIANS

1981 será um ano para ser esquecido pelos torcedores corinthianos. No Brasileiro, o time alcança sua pior classificação de sua história em campeonatos brasileiro, a 26º colocação. No Campeonato Paulista, que classificava apenas os 7 primeiros colocados automaticamente para o Brasileirão do ano seguinte, o Timão acabou na 8ª colocação, e viu-se obrigado a disputar a Taça de Prata, nome que se dava à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. 
(Rondinelli, Gomes, Zé Maria, Rafael, Caçapava e Wladimir. Agachados: Biro-Biro, Sócrates, Mário, Zenon e Paulo César Caju)

TODOS OS UNIFORMES OFICIAIS DO CORINTHIANS

O primeiro uniforme do Timão era uma cópia do Time Inglês, Camisas bege e Calções Pretos. Como era difícil encontrar calções desta cor, o time utilizou calções brancos . O engraçado, era que o Calção do time inglês era na verdade azul escuro.
Em sua estréia no Futebol Oficial, em 1913, o Time aparece vestido com camisas brancas e calções pretos, cujas primeiras camisas  teriam sido feitas com sacos de farinha. Neste periodo que compreende os anos de 1913 a 1919, a única mudança seria em relação ao distintivo.


A partir de 1919 a camisa ganha um novo distintivo, perde a gola e os punhos pretos.


Em 1939 surge o distintivo com a âncora e os remos. Voltam a gola e os detalhes das mangas em preto.


Em 1949, em homenagem ao Torino da Itália, cujo time havia sido dizimado em acidente aéreo quatro dias antes, o Timão enfrenta a Lusa em um amistoso, vestindo uma camisa grená.

Em 1965 o Timão representa a Seleção Brasileira com a camisa azul da antiga CBD, em um amistoso contra o Arsenal da Ing…

A HISTÓRIA DO CLÁSSICO - CORINTHIANS X SANTOS

Dentre os times considerados grandes do futebol paulista, Corinthians e Santos é considerado o clássico mais antigo. A primeira partida envolvendo as duas agremiações nesse centenário confronto ocorreu em 22 de junho de 1913 com vitória do time praiano por 6 x 3. A primeira vitória do Timão aconteceu apenas em 26 de agosto de 1917 quando  venceu por 3 x 0 todos marcados por Neco. Em 11 de julho de 1920, o Corinthians aplicou sua maior goleada contra o Santos 11 x 0. A partida realizada na Vila Belmiro teve que ser interrompida aos 21 minutos do 2º tempo, já que os jogadores do Santos começaram a forçar expulsões até ficarem com um número insuficiente para que a partida pudesse ser concluída. Os heróis daquela tarde foram : Colombo, Nando, Gano, Garcia, Amilcar, Ciasca, Américo, Neco, Bororó, Gambarotta e Basílio (Foto abaixo)



Em 4 de setembro de 1927 foi a vez do time praiano aplicar uma goleada de 8 x 3.
Em janeiro de 1931 a torcida corinthiana lota 80 vagões de trem que saíram das …