Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

CRAQUES DO PASSADO - ANDRÉ EMANUEL "TEDESCO"

O santista Tedesco começou sua carreira profissional no clube Atlético Santista. Destaque do time, foi contratado pela equipe italiana da Lazio em 1931, junto com os corinthianos Del Debbio, Rato, De Maria, e Filó,  os Palestrinos Ministrinho, Pepe e Serafini, além do técnico Amilcar Barbuy. Permaneceu na Itália até o final de 1933 quando resolveu retornar ao Brasil. De volta, escolheu o Corinthians para jogar. Sua estréia com a camisa do Timão foi em 7 de janeiro de 1934 na vitória  por 2 x 4  em jogo amistoso contra o C.A.Paulista. Foi nessa partida que Tedesco assinalou seu primeiro de 20 gols marcados com a camisa alvinegra. Em 1937, ano do primeiro título profissional corinthiano, Tedesco participou de 2 partidas da campanha vitóriosa ( 2 x 2 contra o Santos, e 3 x 2 contra a Portuguesa Santista). No final de 1937, após 60 jogos Tedesco se despede do Corinthians.
(Equipe da Lázio de 1931, apelidada de Brasilázio)

CRAQUES DO PASSADO - CLÓVIS "TOUGUINHA" DOS SANTOS

Dono de um futebol clássico, o médio Touguinha acabou ganhando o apelido de "O pai da bola". Gaúcho de Porto Alegre, aportou no Corinthians em 1949 vindo do Grêmio . Sua estréia foi no dia 21 de abril de 1949 num amistoso contra o Noroeste de Baurú  entrando no lugar do então titular Newton. Aos poucos ganhou a posição sagrando campeão do Torneio Rio-São Paulo de 1950 e Paulista de 1951. Ao todo foram 126 jogos e 4 gols assinalados com o manto alvinegro no período entre 1949 a 1953.

GRANDES ÍDOLOS - ANTÔNIO ELIAS "JULIÃO"

O Piracicabano Antônio Elias Julião começou sua carreira  ainda no amadorismo no Clube Atlético Piracicabano. Corinthiano confesso desde criancinha, Julião dizia-se fã de Teleco e Sevílio, além de Dino Pavão e Brandão. Julião estreou no Timão em 5 de novembro de 1950. Em seu primeiro ano, formou a linha média titular da equipe ao lado de Idário e  Touguinha. Em 1951, ano de seu primeiro título atuou mais como médio. Já  em 1952, ano do bicampeonato paulista  passou a atuar mais atrás, na lateral-esquerda. Julião alega que no início era um jogador mais técnico, mas após sofrer uma fratura na perna, passou a jogar com mais virilidade. Julião ainda conquistaria os títulos do Rio-São Paulo de 1953 e 1954.  No Paulista de 1954 acabou indo defender as cores do Linense. Retornaria ao Corinthians em 1955 onde permaneceu até o começo de 1957, quando se transferiu para o Botafogo de Ribeirão Preto. Lá jogou ao lado de seu irmão Benedito Julião. Teve um rápida passagem também pelo Jaboticabal. …

CRAQUES DO PASSADO - SEBASTIÃO "LORENA"

O médio Lorena começou sua trajetória no Corinthians em 1950. Sua estréia foi no dia 19 de março em um amistoso contra o Rio Branco de Americana. Em 1951, ano em que conquistou seu primeiro título com a camisa corinthiana, Lorena disputou uma vaga no time titular com Touguinha e Roberto Belangero. Na final contra o Palmeiras foi ele quem saiu na foto, já que o titular , Roberto, estava ausente. Em 1952 na conquista do bicampeonato teve pouca participação. Em 1953 durante o Torneio Rio-São Paulo, Lorena quase entrou para a história do clube ao falhar num lance contra o Vasco da Gama no último minuto da partida que acabou resultando no gol de Chico, e consequentemente a vitória do time cruzmaltino. Felizmente para ele, e para o Timão, o Vasco da Gama perdeu na rodada seguinte para o Santos, resultado que garantiu a Taça para o Corinthians. Ao todo foram 64 partidas entre os anos de 1950 a 1953.

CRAQUES DO PASSADO - MÁRIO DE PAULA LOPES JUNIOR

Um dos maiores dribladores da história do Corinthians em todos os tempos,  o carioca Mário chegou ao Timão em 1951 vindo do Bangu (RJ) onde era conhecido como "Mariozinho".

(1950- No Bangu AC)

 Sua estréia foi  no dia 5 de agosto contra a Portuguesa no Pacaembu em jogo válido pelo Paulista daquele ano. Ao lado de Claúdio, Luizinho, Baltazar e Carbone, formou o ataque dos 103 gols marcados no paulistão de 1951. Apesar de ser um atacante extremamente habilidoso e ofensivo, Mário possuia uma característica que intrigava os torcedores, levantando diversas versões sobre o fato - ele não gostava de marcar gols, preferindo servir um companheiro mais bem colocado. Uma das versões diz que ele evitava marcar gols a pedido de sua própria mãe, para que "a mãe do goleiro adversário não sofresse". Outra versão dizia que ele ficava sem forças para chutar no gol, pois na hora "H" deparava-se com o rosto de uma jovem que tinha iludido no Rio de Janeiro tomando todo o es…

CRAQUES DO PASSADO - GABRIEL GARCIA "BAÚ"

Meia-direita de origem, Garcia, ou  "Baú" como fora apelidado chegou ao Corinthians no final de 1917. Sua estréia foi na derrota para o Santos FC por 2 x 3 em 11 de novembro.  Durante sua estada no Timão, Garcia atuou em várias posições, sendo considerado o primeiro grande "curinga" da história do clube. Nas conquistas dos campeonatos paulista de 1922/23 nas vezes que entrou em campo atuou mais como zagueiro, ora jogando ao lado de Gano, ora ao lado do grande Del Debbio. Sua última participação com o manto alvinegro foi em 3 de maio de 1923 quando conquistou a Taça Competência , disputa que reunia os campeões da Capital e do Interior do Estado, ao derrotar o Rio Branco por 5 x 0. Ao todo foram 78 jogos e 12 gols marcados em 7 temporadas.
( 1919 - Ano em que faturou o primeiro Torneio Início)

CRAQUES DO PASSADO - FÚLVIO BENTI

Fúlvio Benti fez sua primeira partida com a camisa corinthiana em 23 de março de 1913 contra o Minas Gerais em jogo eliminatório, valendo vaga para o Campeonato Paulista daquele ano. O Timão venceu por 1 x 0 , e no jogo seguinte, contra o São Paulo (Bexiga) ao vencer por 4 x 0 ratificou seu acesso ao Campeonato. Ao Lado do também zagueiro Casemiro González formou a zaga campeã Paulista de 1914 . Repetiria a dose em 1916, ano em que o Timão conquistaria seu segundo título, também de forma invicta. Em 1913 entrou definitivamente para a história do clube ao assinalar o primeiro gol contra de um jogador corinthiano. O fato ocorreu no dia 25 de maio na goleada sofrida para o Americano por 1 x 7 em jogo válido pelo Paulista. Fúlvio defendeu o clube em 68 oportunidades entre os anos de 1913 a 1920. Faleceu 6 anos após, em 1926.