Pular para o conteúdo principal

GRANDES ÍDOLOS - LUIZ MORAIS "CABEÇÃO"


Luiz Morais, ou simplesmente Cabeção, começou no clube em 1938, ainda no infantil. Juntamente com Idário, Roberto e Luizinho, subiu dos aspirantes para o profissional em 1949. Foi Campeão Paulista de 1951 como titular absoluto, e em 1954 atuou em alguns jogos. No Bicampeonato de 1952 não participou de nenhuma partida da conquista, pois era reserva do titular Gylmar. Conquistou ainda o Título do Torneio Rio-São Paulo de 1953.



Dizia a lenda, que Cabeção não apresentava uma boa desenvoltura nos jogos noturnos, mas isso não o impediu de conquistar títuolos. Participou da Copa de 1954 como reserva de Castilho. No Período de 1949 a 1966, entre idas e vindas (Jogou  por empréstimo na Portuguesa, Bangu e Comercial de Ribeirão Preto) Cabeção disputou 330 jogos com a camisa do Corinthians. Com a chegada dos goleiros Heitor e Marcial, Cabeção acabou perdendo espaço no Time, e em 1967 transferiu-se para o Juventus da Moóca. Jogou ainda no Bragantino em 1968, e encerrou sua carreira na Portuguesa Santista perto de completar 40 anos.



Cabeção foi por 18 anos treinador das categorias de base do Timão, onde revelou dentre tantos, os jogadores:  Goleiro - Rafael, Solito e  Ronaldo. Zagueiros - Zé eduardo, Marcelo e Wladimir. Atacantes - Casagrande, Paulo Sergio, etc.
No time principal do Corinthians, dirigiu por uma vez no ano de 1976 contra o São Paulo, vencendo a partida por 1 x 0, gol de Ivan.
Foi o primeiro goleiro do Brasil que introduziu as luvas em 1957.
Em entrevista a Maurício Sabará Markiewicz  publicada no blog Futebol de Todos os Tempos, Cabeção relatou o fato: 
"A Seleção Brasileira estava na Tchecoslováquia, estava caindo neve e fomos treinar. Estava doendo as mãos e falei para o Gilmar pra comprarmos uma luva, já que aqui eles usam. Trouxe uma da Tchecoslováquia e outra da Inglaterra. Aqui no Brasil pus em um jogo à noite, sendo que o Mário Morais da Tupi me criticou. Depois não usei mais. Havia uma fábrica conhecida como Estádio, o dono dela (Sr. Agostinho) me pediu a luva emprestada e eles começaram a fazer, mas com uma costura muito grossa, sendo que as mãos não fechavam. Depois a Adidas entrou com as luvas que conhecemos."

Uma de suas maiores tristezas, aconteceu em 1990 com o assassinato de seu filho no Bairro do Tatuapé em São Paulo




(Campeão Paulista de 1951 - Idário, Touguinha, Lorena, Cabeção, Julião, Murilo e o Técnico Rato. Agachados: Claudio, Luizinho, Baltazar, Jackson e Carbone)

(1960- Oreco, Ari Clemente, Olavo, Egídio, Cabeção e Roberto Belangero. Agachados: Bataglia, Luizinho, Almir, Rafael e Guimarães.)


(Aqui Cabeção aparece defendendo a Portuguesa em uma de suas saídas por empréstino nos anos 50)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

1981 ANO DO PRIMEIRO REBAIXAMENTO DO CORINTHIANS

1981 será um ano para ser esquecido pelos torcedores corinthianos. No Brasileiro, o time alcança sua pior classificação de sua história em campeonatos brasileiro, a 26º colocação. No Campeonato Paulista, que classificava apenas os 7 primeiros colocados automaticamente para o Brasileirão do ano seguinte, o Timão acabou na 8ª colocação, e viu-se obrigado a disputar a Taça de Prata, nome que se dava à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. 
(Rondinelli, Gomes, Zé Maria, Rafael, Caçapava e Wladimir. Agachados: Biro-Biro, Sócrates, Mário, Zenon e Paulo César Caju)

TODOS OS UNIFORMES OFICIAIS DO CORINTHIANS

O primeiro uniforme do Timão era uma cópia do Time Inglês, Camisas bege e Calções Pretos. Como era difícil encontrar calções desta cor, o time utilizou calções brancos . O engraçado, era que o Calção do time inglês era na verdade azul escuro.
Em sua estréia no Futebol Oficial, em 1913, o Time aparece vestido com camisas brancas e calções pretos, cujas primeiras camisas  teriam sido feitas com sacos de farinha. Neste periodo que compreende os anos de 1913 a 1919, a única mudança seria em relação ao distintivo.


A partir de 1919 a camisa ganha um novo distintivo, perde a gola e os punhos pretos.


Em 1939 surge o distintivo com a âncora e os remos. Voltam a gola e os detalhes das mangas em preto.


Em 1949, em homenagem ao Torino da Itália, cujo time havia sido dizimado em acidente aéreo quatro dias antes, o Timão enfrenta a Lusa em um amistoso, vestindo uma camisa grená.

Em 1965 o Timão representa a Seleção Brasileira com a camisa azul da antiga CBD, em um amistoso contra o Arsenal da Ing…

A HISTÓRIA DO CLÁSSICO - CORINTHIANS X SANTOS

Dentre os times considerados grandes do futebol paulista, Corinthians e Santos é considerado o clássico mais antigo. A primeira partida envolvendo as duas agremiações nesse centenário confronto ocorreu em 22 de junho de 1913 com vitória do time praiano por 6 x 3. A primeira vitória do Timão aconteceu apenas em 26 de agosto de 1917 quando  venceu por 3 x 0 todos marcados por Neco. Em 11 de julho de 1920, o Corinthians aplicou sua maior goleada contra o Santos 11 x 0. A partida realizada na Vila Belmiro teve que ser interrompida aos 21 minutos do 2º tempo, já que os jogadores do Santos começaram a forçar expulsões até ficarem com um número insuficiente para que a partida pudesse ser concluída. Os heróis daquela tarde foram : Colombo, Nando, Gano, Garcia, Amilcar, Ciasca, Américo, Neco, Bororó, Gambarotta e Basílio (Foto abaixo)



Em 4 de setembro de 1927 foi a vez do time praiano aplicar uma goleada de 8 x 3.
Em janeiro de 1931 a torcida corinthiana lota 80 vagões de trem que saíram das …