Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

CRAQUES DO PASSADO - ALUÍSIO FRANCISCO DA LUZ "ÍNDIO"

o Paraibano Índio, começou sua carreira futebolística em 1947 no Bangu-RJ. Em 1949 transferiu-se para o Flamengo-RJ onde conquistou o tricampeonato carioca de 1953/54/55. Pela Seleção Brasileira disputou a Copa do Mundo de 1954, e as eliminatórias para a Copa de 1958, tendo inclusive marcado um importante gol contra o Peru no empate por 1 x 1 em Lima no jogo de ida. Em julho de 1957 transferiu-se para o Corinthians. Em seu primeiro ano de clube, marcou 20 gols em 36 partidas. Suas 2 últimas partidas pelo Timão foram na Espanha, onde o Corinthians fez seus dois últimos amistosos de uma série de 10 que realizou na Europa, contra o Barcelona e a Seleção de La Coruña, vencendo-os respectivamente por 5 x 3 e 3 x 0 em junho de 1959. Após esses amistosos, Índio transferiu-se para o Espanyol-ESP onde jogou até 1964. Encerrou sua carreira em 1965 no América-RJ No Corinthians foram 101 jogos e 52 gols (média superior a meio gol por partida).

(Nos tempos de Corinthians)
(Atualmente)

CRAQUES DO PASSADO - HÉRCULES DE MIRANDA

Mineiro de Guaxupé, Hércules Miranda chegou ao Corinthians em 1942, vindo do Fluminense RJ, onde consagrou-se como um dos maiores ponta-esquerda da história do clube carioca. Apelidado de "O Dinamitador" devido à potência de seus chutes, Hércules, segundo o cronista esportivo da época, Geraldo Sila, tinha um canhão no pé esquerdo, e um míssil no direito. Participou da Copa do Mundo de 1938. Sua trajetória no Timão começou em maio de 1942 quando estreou na vitória por 3 x 0 contra o Atlético Paranaense em jogo amistoso. Apesar de ter chegado ao clube perto de completar 30 anos, Hércules fez ótimas apresentações com a camisa alvinegra, inclusive tendo terminado como artilheiro do campeonato Paulista de 1943 com 19 gols. No total foram 73 jogos e 56 gols marcados em 2 temporadas. Em 1944 Hércules encerra sua carreira, e retorna para o Rio de Janeiro para exercer a profissão de corretor de imóveis. Hércules faleceu aos 70 anos em 1982.

CRAQUES DO PASSADO - AMÉRICO FIASCHI

Paulista de São Carlos, Américo teve seu primeiro contato com o Corinthians em 10 de setembro de 1910, quando defendendo as cores do União da Lapa, participou da 1ª partida da história do Timão. 4 anos mais tarde, já em 1914,  lá estava Américo vestindo o manto alvinegro, e ajudando o time a conquistar seu primeiro campeonato. Em 1915, com o Corinthians fora da Liga, Américo, ao lado de Fúlvio, Bianco, Police e Amilcar,  disputa o Campeonato Paulista pelo Palestra Itália. Em 1916, com o retorno do Timão às disputas, Américo conquista seu 2º título Paulista. Ponta-direita preciso nos cruzamentos e dono de um chute potente, américo marcou 49 gols em 154 partidas disputadas pelo clube. Américo permaneceu no Corinthians até 1921. Encerrou sua carreira no Palestra Itália.

CRAQUES DO PASSADO - FERNANDO TORRINI "NANDO"

Zagueiro vigoroso, formou ao lado de Gano, a mais famosa e temida dupla de zaga do final dos anos 10 e início dos anos 20. Nando começou sua trajetória no Timão em 7 de abril de 1918 no empate de 2 x 2 contra o Santos FC. Em seus 4 anos de clube, disputou 99 jogos, sempre dividindo a zaga com Gano. Dizem as más línguas que a dupla entrava em campo alcoolizada. Campeão do Centenário em 1922, Nando faz sua última partida em 25 de junho de 1922 na goleada de 9 x 0 sobre a Portuguesa/Mackenzie em jogo válido pelo Campeonato Paulista, sendo em seguida substituido por um jovem jogador que vinha do segundo quadro do time, o lendário Del Debbio.
(A valente dupla de zagueiros à direita do Goleiro Mário)

CRAQUES DO PASSADO - ACHILLES "CIASCA"

Ciasca começou sua trajetória no Timão em 1917 ano em que o Clube participava pela primeira vez de um Campeonato com os grandes times de São Paulo. Sua estréia foi na vitória por 1 x 0 contra o Ypiranga no dia 8 de abril de 1917 em jogo válido pelo Campeonato Paulista.  Jogando na posição de médio (atual volante), Ciasca se destacou como um marcador incansável, tanto que acabou recebendo o apelido de "carrapato", pois estava sempre grudado ao adversário. Ao todo foram 155 jogos, e apenas 1 gol marcado. Ajudou o Corinthians a conquistar seu primeiro tricampeonato paulista 1922/1923/1924. Ciasca faleceu em 1984 aos 92 anos de idade.


GRANDES ÍDOLOS - GUIDO GAMBAROTTA "GAMBINHA"

Grande goleador, Gambinha foi o segundo jogador da Família Gambarotta a fazer sucesso no Timão. Seu Irmão Alberto foi o pioneiro da família. Sua estréia no clube foi em 15 de agosto de 1926 contra o Palestra Itália. Apesar da derrota por 3 x 2 para o rival, Gambinha já mostrava seu faro de goleador ao assinalar o segundo gol do Timão na partida, e o seu primeiro com o manto alvinegro. Como jogaram juntos durante 2 anos, Guido Gambarotta acabou adontando o apelido de Gambinha para se diferenciar de seu irmão Alberto Gambarotta, que já era conhecido pelo sobrenome familiar. Tricampeão Paulista de 1928/1929/1930, Gambinha encerrou sua passagem pelo Timão após 121 jogos e 93 gols (média de 0,77 gols por partida) colocando-o no seleto grupo dos maiores artilheiros da história do Corinthians.


CRAQUES DO PASSADO - PINHEIRO

Zagueiro de formação, Pinheiro chegou ao Corinthians em 1923, para formar ao lado do goleiro Colombo, e do Zagueiro Del Debbio, o trio final da época. Com a chegada do zagueiro Grané, Pinheiro passou a ter que disputar uma vaga contra 2 dos maiores zagueiros da época. Vendo que a parada seria meio indigesta, passou a atuar também como atacante. Apesar de ter permanecido no clube por mais de dez anos, Pinheiro participou apenas de 53 jogos. Conquistou os títulos Paulista de 1923, 1924 e 1928.

GRANDES ÍDOLOS - JOSÉ "HUNGARÊS" LENGYL

José Lengyl, ou "hungarês" como era chamado, nasceu na Hungria em 1908. Chegou ao Corinthians em 1934 vindo do São Paulo, para substituir o veterano goleiro Jaguaré, que se encontrava em final de carreira. Goleiro seguro e arrojado, bola na pequena área era com ele. Notabilizou-se também por ser um grande pegador de penalidades. Em 1935 com a contratação de um outro goleiro de nome José, passou a ser mencionado como José I. Em 1939 com as chegadas dos goleiros Barchetta e Joel, acaba não disputando nenhuma partida que deu ao clube o 3º tricampeonato.  Faz sua última partida com a camisa do clube em 22 de setembro de 1940, indo em seguida para o Santos FC. Ao todo, José I disputou 145 jogos com a camisa do Timão, e ajudou a conquistar 2 títulos Paulistas ( 1937 e 1938).

 (Contra o Palestra Itália em 1936)

(Em ação num Derby)

GRANDES ÍDOLOS - GINO COLOMBO

Apesar de ter realizado sua primeira partida com a camisa corinthiana em julho de 1920, Colombo só foi efetivado como titular absoluto a partir de 1923, ano em que ganhou seu primeiro título paulista. Em 1924 conquistaria o bicampeonato (1º tricampeonato do Timão 1922/23/24). O goleiro continuaria titular até o começo de 1928, quando perdeu a posição para Moreno. Com a chegada do grande goleiro Tuffy em julho de 1928, Colombo viu suas chances diminuirem por completo, chegando a disputar apenas 5 partidas em 2 anos. Em 1931, com a saída  de Tuffy, Colombo chegou a disputar mais 4 partidas como titular antes de encerrar sua passagem pelo Timão. No total foram 100 jogos e 130 gols sofridos em 11 anos de clube.

A HISTÓRIA DO DÉRBI PAULISTA - CORINTHIANS X PALMEIRAS

No dia 6 de maio de 2017, o clássico Corinthians x Palmeiras , também conhecido como "Dérbi Paulista" completou 100 anos. O primeiro encontro entre as duas equipes ocorreu nos idos de 1917, quando o então Palestra Itália venceu o Timão por 3 x 0. Essa partida foi realizada no Estádio Palestra Itália, e os 3 gols foram marcados pelo atacante palestrino Caetano. Tinha início a história do clássico de maior rivalidade do futebol paulista.

( Corinthians 1917)
O Timão conseguiu sua primeira vitória apenas em 1919, quando venceu o rival por 3 x 0 em prélio disputado no Estádio da Floresta.

(Derby realizado no Estádio da Floresta)
Em 4 de outubro de 1942, ocorreu o primeiro clássico entre o Timão, e o atual  Palmeiras (Ex Palestra Itália). O Palmeiras que chegava nessa última partida já com o título do estadual garantido, defendia a sua invencibilidade diante de seu maior rival, o Corinthians. Só que o Timão de Hércules e Milani, e com uma ajuda do zagueiro palmeirense Begliomini …